Zonas Azuis – Lições para viver mais e melhor

Por Flávio Passos em colaboração com Pedro Ivo 

 

Todos nós habitamos este belo planeta e, por mais que sejamos diferentes, vivemos integrados através das ações fundamentais da vida – dormir, acordar, comer, beber, se movimentar, pensar, sentir e se relacionar.

Estes aspectos influenciam diretamente nossa saúde, a qualidade e a duração das nossas vidas. É fato que algumas pessoas são mais saudáveis do que outras e que alguns indivíduos vivem em mais do que outros.

Determinadas regiões ao redor do mundo apresentam uma população com alto índice de saúde e longevidade. Estes locais foram chamados de “zonas azuis”.

O conceito das zonas azuis se desenvolveu a partir do trabalho demográfico de Gianni Pes e Michael Poulain, que identificaram a província de Nuoro da Sardenha como a região com a mais elevada concentração de centenários do sexo masculino do mundo.

Dan Buettner e sua equipe se uniram à National Geographic para ampliar essa pesquisa e descobrir onde estão as pessoas mais longevas e quais fatores contribuem para isso. Eles identificaram cinco áreas geográficas espalhadas ao redor do planeta, incluindo povoados na Grécia, Costa Rica, Itália, Japão e Califórnia.

Essa experiência resultou no livro “A solução das zonas azuis” (“Blue Zones, Lessons for Living Longer from the People Who’ve Lived the Longest), em que Dan Buettner oferece uma explicação, com base em dados empíricos e observações de primeira mão, do porquê estas populações vivem mais e com mais saúde.

 

 

Certamente podemos aprender muito observando os elementos em comum no estilo de vida das pessoas mais longevas e saudáveis. Ainda de acordo com os pesquisadores, a expectativa de vida média de uma pessoa pode aumentar de dez a doze anos ao adotar os hábitos mais importantes presentes nas zonas azuis. 

 

A Sardenha tem a mais alta concentração de centenários do sexo masculino do mundo.  

As cinco regiões que atenderam aos critérios dos pesquisadores foram: 

  • Barbágia da Sardenha – região de planaltos montanhosos do interior da Sardenha com a mais elevada concentração de centenários do sexo masculino. 
  • Icária, Grécia – ilha egeia com uma das menores taxas de mortalidade de meia idade e as menores taxas de demência. 
  • Península de Nicoya, Costa Rica – apresenta as menores taxas de mortalidade de meia idade do mundo e a segunda mais alta concentração de centenários do sexo masculino. 
  • Adventistas do Sétimo Dia – sua maior concentração está ao redor de Loma Linda, na Califórnia. Eles vivem dez anos mais do que suas contrapartes norte-americanas.
  • Okinawa, Japão – as mulheres com mais de setenta anos de idade são a população mais longeva do mundo.

De acordo com esses achados, Dan Buettner reuniu um time de médicos, antropólogos, demógrafos e epidemiologistas para procurar por denominadores comuns entre estes cinco lugares e descobrir quais elementos são decisivos para a longevidade. 

As zonas azuis estão em diferentes partes do mundo, com características climáticas, culturais e históricas bem distintas, mas o estilo de vida de seus habitantes, de acordo com a pesquisa, tem nove fatores em comum.  

Tendo como base estes nove fatores, elaboramos as dicas abaixo para que você tenha uma vida mais longa, saudável e feliz:

 

1. Movimente-se naturalmente

Nestes locais, o movimento é parte natural da rotina. Atividades como o cultivo de jardins e hortas, marcenaria, locomoção e um cotidiano sem as comodidades modernas, faz com que seja necessário o uso de trabalho braçal para que as coisas aconteçam.  

Os homens sardenhos, por exemplo, criam animais, quase sempre vivem em encostas íngremes e caminham longas distâncias todos os dias para trabalhar. A movimentação acaba sendo uma exigência do dia a dia e é algo e acontece constantemente. 

Quer você esteja praticando jardinagem, caminhadas, preparando a comida ou outras atividades, o movimento irá ajudá-lo a melhorar sua saúde.

 

 

O exercício faz parte da rotina diária através de jardinagem, caminhadas e trabalho na cozinha.

 

2. Conheça e cultive seu propósito

As pessoas nas zonas azuis tendem a ter um forte senso de seu propósito de vida, conhecido como ‘ikigai’ em Okinawa ou ‘projeto de vida’ em Nicoya, o que se pode traduzir como ‘a razão pela qual se deve levantar pela manhã’. 

Este propósito, que também está associado à sensação de pertencimento, geralmente traz benefícios para outras pessoas e para a comunidade, é algo que traz ânimo, satisfação e apreciação pela vida. De acordo com Dan Buettner, este senso de propósito pode acrescentar até sete anos a mais em sua vida.

 

3. Administre o estresse e elimine o estresse desnecessário

O estado de estresse crônico é a principal causa de doenças e de infelicidade no mundo hoje. Ele leva à inflamação sistêmica, que está associada com as principais doenças relacionadas à idade.  

Momentos de estresse são parte da vida e até mesmo saudáveis, e certamente os habitantes das zonas azuis também os enfrentam, mas o modo como lidam com o estresse faz toda a diferença.  

As pessoas mais longevas do mundo sabem eliminar o estresse desnecessário e administrar o estresse inevitável.  

De alguma forma, cada uma destas culturas desenvolveu rituais (ou costumes) que são benéficos para mitigar o stress.  

É comum para os Okinawa que as pessoas parem por alguns momentos todos os dias para relembrar seus ancestrais. Já os adventistas, tem sua pausa para realizar orações. Há certa similaridade com aquilo que fazem os icarianos, para os quais o período do cochilo é algo sagrado, e os sardenhos, com sua ritualística celebração de happy hour 

A lição aqui é desenvolver maneiras saudáveis de apreciar a vida e descarregar as tensões naturais do dia a dia. 

 

4. Siga a “regra dos 80%”

A restrição calórica e o jejum intermitente são práticas comuns nas zonas azuis. Os okinawanos recitam antes das refeições um mantra de Confúcio de 2.500 anos atrás, ‘Hara hachi bu’, que significa aproximadamente “coma até que sua barriga esteja 80% cheia”. Isto faz com que eles parem de comer antes do correrem o risco do excesso, ajudando a prevenir o ganho de peso e o surgimento de doenças. 

Os icarianos, tipicamente cristãos ortodoxos gregos, praticam o jejum em feriados religiosos, em momentos diferentes durante todo o ano. Pesquisas demonstram que o jejum estimula a renovação das células (autofagia), fortalece o sistema imune e reduz o risco de desenvolver doenças crônicas, como diabetes e hipertensão. 

 

 

Ter um senso de propósito responde por até sete anos a mais de expectativa de vida.

 

5. Alimente-se com comida de verdade

Um aspecto em comum de todas essas regiões é o baixo consumo de produtos industrializados e refinados. Vegetais frescos, frequentemente cultivados nos quintais, produtos animais de boa qualidade, grãos e leguminosas preparados tradicionalmente (com demolhagem, fermentação e outras técnicas para eliminar antinutrientes) constituem a dieta típica.

Outros fatores importantes são a quantidade e a frequência. Essas populações longevas comem porções menores e param de comer antes de estarem completamente saciadas, além disso não comem várias vezes ao dia, e param de se alimentar no fim da tarde ou no comecinho da noite, com uma refeição leve.

 

6. Cultive um conjunto de valores elevados que te inspirem e orientem

A fé e a dedicação à princípios morais e espirituais desempenha um grande papel na vida dos habitantes das zonas azuis. Usualmente este conjunto de crenças e princípios fortalece o vínculo entre as pessoas, criando um senso de pertencimento que provê suporte social e pode ajudar a aliviar a depressão e a solidão. 

Todos os 263 centenários entrevistados (exceto cinco) pertenciam a alguma comunidade com base na fé. A denominação não é tão importante.  

Pesquisas demonstram que participar de serviços baseados em princípios altruístas e espirituais quatro vezes por mês aumenta a expectativa de vida de quatro até catorze anos.

 

7. Coloque sua família em primeiro lugar

Nas zonas azuis, as famílias são mantidas por perto. Isso muitas vezes inclui os pais com mais idade morando na mesma casa ou bem próximos dos outros membros da família.

Essa proximidade é especialmente importante para o convívio social dos mais velhos, contribuindo muito para a saúde e o equilíbrio mental e emocional. Interessantemente, estudos mostram que ter pais e avós por perto também diminui as taxas de doenças e mortalidade das crianças na casa.

 

 

As pessoas que moram nas zonas azuis comem uma dieta baseada em comida de verdade.

 

8. Encontre sua “tribo”

Conviver com aqueles em quem confiamos e com os quais temos afinidade reforça nossas qualidades e nos traz um benéfico senso de segurança e pertencimento. Estar cercado de pessoas que promovam comportamentos saudáveis e positivos é ainda mais importante.  

As pessoas mais longevas do mundo escolheram ou nasceram em círculos sociais compatíveis com comportamentos saudáveis. Os okinawanos criaram os ‘moais’ – grupos de cinco amigos que se comprometem uns com os outros por toda a vida.  

Pesquisas a partir dos Estudos Framingham mostram que o tabagismo, a obesidade, a felicidade e até mesmo a solidão, são todos contagiosos. As conexões sociais das pessoas mais longevas contribuem favoravelmente para os seus hábitos e atitudes saudáveis. 

Somos também produto de nosso meio. Escolha bem o meio ao qual pertence! 

 

9. Evite toxinas, incluindo o álcool

Todas as regiões pesquisadas são relativamente livres de poluentes pesados, como os encontrados em áreas industriais e urbanas densamente povoadas.  

Além disso, quando há consumo de álcool, este é baixo ou moderado, sendo que a principal bebida consumida é o vinho, feito artesanalmente a partir de uvas orgânicas, portanto oferecendo polifenóis benéficos. 

Outro fator importante é que existe pouco consumo de produtos e cosméticos industrializados, outra grande fonte de toxinas, com ingredientes de baixa qualidade e aditivos químicos diversos. 

 

 

Fatores adicionais

Acima foram citados os nove pontos principais selecionados pelo autor, Dan Buettner, porém escaparam alguns detalhes importantes, principalmente os que dizem respeito à harmonia com os ciclos naturais. 

Os dois hábitos seguintes fazem parte do cotidiano das populações das zonas azuis e contribuem enormemente para a saúde e longevidade, vale a pena implementá-los em sua vida:  

  • Acordar cedo e se expor à luz do sol durante períodos variados do dia. Isso gera uma ativação e produção de hormônios e diversas outras substâncias altamente benéficas, além da importantíssima e conhecida vitamina D.  
  • Dormir mais cedo com a ausência de estímulos artificiais de noite. A exposição a luzes artificiais e telas de aparelhos inibe a produção de melatonina (o mais potente antioxidante produzido pelo corpo) e estimula a produção de cortisol, atrapalhando imensamente o repouso profundo e a regeneração do organismo. 

 

Cultivando saúde e felicidade

Com o conhecimento certo é possível maximizar nossa Saúde e Felicidade. Sempre é possível melhorar.  

Atitudes e escolhas simples podem contribuir muito para garantir uma vida plena. Você pode, por exemplo, revolucionar sua saúde com pequenas e relevantes mudanças, como por exemplo se expor ao sol e caminhar frequentemente, sempre optando por subir escadas ao invés de usar o elevador. 

Em nosso Curso online Coma Fora da Caixa, nos empenhamos ao máximo em disponibilizar todo o conhecimento necessário, de forma sintética e praticável, para facilitar que você possa realizar essas mudanças de um modo simples e gradual. 

Ao mesmo tempo, oferecemos um conteúdo amplo, aprofundado, detalhado e embasado em pesquisas científicas. Estas dicas oferecidas neste artigo são apenas uma pequena amostra! 

Dedicamos um módulo inteiro ao tema da longevidade, incluindo tópicos como imunidade, a importância dos hormônios, os elementos causadores ou aceleradores do envelhecimento celular e as maneiras de evitá-los, assim como os alimentos, suplementos e hábitos que protegem o organismo, diminuem a velocidade do envelhecimento e proporcionam uma maturidade mais plena, saudável e feliz.  

Clique aqui para conhecer. 

É perfeitamente possível participar do mundo moderno e ainda assim cultivar a simplicidade, a calma e os hábitos saudáveis que caracterizam as culturas que vivem em contato direto com a Natureza e colocam em prática uma sabedoria que se desenvolveu ao longo de milênios.   

Adicione anos à sua vida…. e vida aos seu anos! 

74 replies on “Zonas Azuis – Lições para viver mais e melhor

  • Sueli Lopes

    Informaçoes riquissímas, meu muitooo obrigada de coração.
    Amei, amei! Temos mudado aos poucos nossa rotina e estamos colhendo bons frutos. Obrigada Flávio Passos, conheci vc pela Eduk e depois disso virei sua fã. Um dia eu e minha filha iremos conhecer seu espaçom. Um grande abraço!

    Responder
    • renate marianne perez

      É sem dúvida um excelente estudo, Amigo Flavio, contudo eu gostaria de acrescentar
      que os Adventistas da California/USA, são naturalistas e parcialmente vegetarianos, não tomam bebidas industrializadas tipo coca-cola, etc.. . tomo a liberdade de acrescentar tb que div. povos mencionados vivem em zonas onde se alimentam principalmente de frutos do mar, muito mais saudáveis que as carnes e seus derivados, que são um agravo
      para qqr. organismo. Os carnívoros carregam em suas barrigas um cemitério de despojos
      animais, os quais apodrecem e provocam câncer e outros males.

      Responder
  • DOLORES DE SOUSA LOPES

    Sempre grata a você por compartilhar conhecimentos vitais para conquistarmos uma vida mais plena. Foi assistindo um vídeo seu que encontrei o caminho que buscava e inspirando algumas pessoas ao meu redor. Ainda falta muito mas caminhar na direção certa já faz uma grande diferença. Gratidão sempre.

    Responder
  • Airton A. Bataglua

    Otimas informacoes que nao sao consideradas no dia a dia principalmente porque a midia nao divulga ,e provavelmente a maioria das pessoas nem sonham com isso.A verdade para essas pessoas sao as progagandas dos produtos alimenticios e o comprimido magico que resolve tudo.Grato.

    Responder
  • Maria José Nunes

    Flavio Passos, muito obrigada por toda essa informação. Muito motivadora pro meu auto-conhecimento, qualidade de vida💓
    Muita Prosperidade e gratidão por tudo, à você e os seus colaboradores. Sempre. Abraço no seu coração .

    Responder
  • Marci De Barros Pereira

    Muito grata por todos os seus ensinamentos, vc compartilhar os seus conhecimentos são como abençoar os seus seguidores com uma aura azul! Gratidão mesmo!! Depois de te conhecer a minha vida mudou! Obrigada mil vezes!

    Responder
  • Gloria Elizabeth

    Muito obrigada!
    Também procuro usar os ensinamentos de Jesus Cristo contidos na Biblia Sagrada em Mateus capítulos 5-7 Á revista Á Sentinela de 2001 tem um excelente artigo de estudo sobre a matéria referida (Mateus 5-7) Basta procurar por este tema Depressão no site jw.org gratuitamente em 900 idiomas .abcs!

    Responder
  • Maria Manuela Ramos de Souza

    Excelente essa matéria Flavio,parabéns por tudo o que você tem dividido com a gente.Há um tempo atrás vi uma reportagem sobre a Ilha Icária na Grécia ,todos os habitantes plantam seus vegetais e criam seus animais,tudo isso de uma forma orgânica,acho muito importante a mudança na alimentação e fazer as substituições de uma forma organica.Já mudei muita coisa em minha alimentação,tirando tudo o que não presta para a alimentação e vou dar inicio à minha horta orgânica,onde usarei somente,terra organica,humus de minhoca e adubo de galinha e fumo de corda para combater as pragas muito comuns à agricultura.Hoje 80% de minha alimentação é orgânica,Vou completar daqui quatro meses,70 anos,mas ninguem me dá mais que 52.
    Continue nos orientando,seus videos são muito bons.
    Um abraço

    Responder
  • Maristela

    Este estudo só nos prova que somos inteiramente responsáveis por nossa felicidade ou infelicidade, como resultado de nossas escolhas. Somos nós que devemos garantir a nós mesmos, uma velhice plena de alegria, saúde e plenitude! Amei o texto!! Parabéns a vocês!!

    Responder
  • Mario Roberto dos Santos

    Gratidão por mais este ensinamento e bem exemplificado(fundamentado) através de lugares e pessoas diferentes mais com mesmo propósito. Sucesso e Vida Longa.

    Responder
  • Ianê Azevedo

    Que texto esclarecedor! Amei ler e verificar que já consegui introduzir na minha vida alguns dos bons hábitos sugeridos. Obrigada por partilhar conhecimento e boas informações!!

    Responder
  • Maria Alves da Penha Melo

    Flávio, amei sua reportagem,sempre me preocupei em viver vida longa e saudável e suas reportagens tem sido de GD valor p minha vida. Parabéns mais uma vez!!

    Responder
  • ROSELI SANTOS

    Maravilhoso esse texto e imagens. Nos traz um desejo muito grande de vivermos melhor, amar mais o nosso próximo e valorizar mais as coisas que Deus criou para nós, seres humanos, sermos gratos a Ele eternamente e viver como Ele nos ensinou: o mais simples possível, próximos à natureza e próximos uns dos outros aprendendo sempre a amar mais. Que maravilha. Obrigada Flávio, você faz toda a diferença.
    Grande abraço,

    Responder
  • Terezinha Aparecida Nogueira Rezende

    Gratidão Flávio por compartilhar artigo de tanta simplicidade e importância. Agradeço pela beleza e delicadeza e comprometimento do material oferecido.

    Responder
  • Alice Ramos de Oliveira

    Pois é, e a comida nesses lugares também é a parte referência da história toda, tenho o livro da Anne Dufour e Laurence Wittner “LA DIETA OKINAWA” que descreve de todas as formas sobre a dieta completa que eles fazem lá, basicamente algas,verduras frescas e voilá PORCO, um porco muito parecido com o Cinta Sinese, o mesmo da região onde vivo hoje, Toscana, é um porco “DOP”, controlado, nesses lugares eles não são vegetarianos, mas muito da comida são verduras e lógico especiarias do lugar, sempre do lugar, uma diferença gigante do que temos no Brasil que importamos até mesmo aspirina, coisa louca esse mundo.

    Responder
  • Roberto Ferri

    Pessoas extraordinárias entendem profundamente a importância de cultivar a Saúde Física, Mental e Espiritual para viver mais e melhor! Obrigado Equipe Pura Vida e Flavio Passos, precisamos de mais pessoas e empresas com esse propósito.

    Responder
  • MARISA CARVALHO

    Gratidão! texto riquíssimo com exemplos simples mas de grande dificuldade na via atual das cidades grandes. Já cultivo minha horta e isso é realmente uma terapia para a alma.

    Responder
  • silvania de paiva noel

    Obrigada por dividir conosco suas experiencias e seu conhecimento.Como ja mudei minha alimentacao depois que comecei a ler e ouvir vc.Inacreditavel.Gratidao Flavio!!!!

    Responder
  • SELMA

    Sou aluna do Curso Alimentação extraordinária ! Emagreci 6 k sem perceber e cheguei ao meu peso ideal! Sinto-me leve, super bem disposta e com uma vitalidade cerebral muito melhor que há anos atras! Nem
    tenho palavras para dizer o quão sou mais feliz hj! E tenho convicção que viverei muitos mais anos agora! Obrigada Flavio! Vc realmente é um ser da nova era!!!💚

    Responder
  • Marly de Campos Bastos Liptak Lili

    Obrigadíssima Flávio Passos! você no mundo faz toda a diferença. E não se esquece dos demais seres humanos, propagando o que é melhor e como fazê-lo. Muitas bênçãos por isso. Viver desse modo, ao ar livre, em contato com a natureza é a melhor receita. E, além do mais, conviver com os familiares e amigos, incluindo refeições naturais, extirpando qualquer produto industrializado é o recado mais importante.Que venham outros textos como esse!!!

    Responder
  • Mônica Cuneo

    Esclarecimentos fundamentais para uma vida longeva, feliz e saudável ! Não sabia a respeito das zonas azuis. Obrigada pelo conhecimento partilhado e desde já agregado ao meu cotidiano. Estarei empenhada para fazer do lugar em que vivo também uma zona azul.

    Responder
  • Maria Vanderli Cavalcante Guedes

    Obrigada Flávio Passos informações valiosas olhe depois que conheci você nunca mais adoecia. Tenho muita gratidão por conhecer você

    Responder
  • Maria de Lourdes

    Muito obrigada por compartilhar seus conhecimentos, Flavio Passos. Estou mudando gradualmente minha alimentação, incluindo alguns alimentos e excluindo outros. Os alimentos realmente podem nos ajudar a ter saúde ou acabar com ela. Como você sempre diz, comida de verdade é o que devemos ingerir. Também nossa postura frente aos desafios da vida pode ajudar a manter e melhorar nossa saúde. Tudo depende de nossas escolhas.
    Parabéns! Sucesso para você e a PuraVida.

    Responder
  • Denise

    Esse artigo que acabei de ler foi mais uma benção recebida nesse sábado, de Carnaval pra alguns e de tempo pra crescimento para outros….
    Profunda GRATIDÃO por compartilhar seus conhecimentos.

    Responder
  • Cláudia Duarte

    Essas regiões são localidades isoladas/distantes de centros urbanos e lavouras? A água que seus habitantes tomam é clorada e fluoretada como a nossa? Qual a qualidade do ar dessas regiões? Seus habitantes têm contato indireto com agrotóxicos por meio de água e ar? Quantas torres de telefonia existem nessas regiões? Parece que as questões que envolvem grandes empresas são sempre colocadas em segundo plano (ou simplesmente nem são cogitadas). Infelizmente nem tudo está sob nosso controle e nossa saúde não depende totalmente de nossas escolhas, não. Importantíssimas as recomendações, mas colocar toda a responsabilidade pela saúde ou debilidade de uma população sobre atitudes individuais é uma ilusão que só contribui para que esses grandes agentes de contaminação coletiva continuem atuando.

    Responder
  • Vhecia

    Sou grata por compartilhar informações muito relevantes afim de
    aprimorarmos cada vez mais nossa qualidade de vida.O conhecimento liberta.
    sou Adventista do Sétimo dia, temos a mensagem da saúde e LOMA LINDA E A NOSSA REFERENCIA, ainda mais temos uma vasta literatura de Helen G white.Estes são os 8 remédios naturais que seguimos: AGUA PURA…AR PURO…LUZ SOLAR…EXERCICIO FISICO…ALIMENTAÇÃO NATURAL…DORMIR BEM…TEMPERANÇA…CONFIANÇA EM DEUS.

    Responder
  • julia putnoki

    Muito obrigada Flavio, por enriquecer nosso conhecimento.
    Dias atrás estive em uma propriedade na cidade de Jarinu de família italiana onde tudo funciona exatamente como no texto que você compartilhou, quase toda comida vem do próprio local, água pura, ar puro,um paraíso e ainda uma senhora de 94 anos lúcida e ativa.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.