BENEFÍCIOS DA Glutamina: MUITO ALÉM DOS MÚSCULOS!

A glutamina é o aminoácido mais abundante no corpo, sendo utilizada para muitas funções diferentes no organismo.   

É indispensável para o bom funcionamento do sistema imunológico e para a integridade da mucosa intestinal. Além disso, desempenha um papel crucial para o bom funcionamento cerebral.

O corpo produz naturalmente a glutamina a partir de outros aminoácidos. No entanto, esta produção pode não ser suficiente para o pleno funcionamento do organismo, já que este a utiliza em grandes quantidades, sendo ideal obtê-la também através da alimentação e / ou suplementação. Por este motivo, a glutamina é classificada como um aminoácido essencial condicional.  

A glutamina serve como fonte de energia para células da mucosa intestinal e do sistema imune. Boas doses de glutamina podem melhorara concentração, o foco, a memória e o humor. Além disto, estudos demonstram que a glutamina pode estimular o hormônio do crescimento e reduzir a ansiedade.  

Todos esses efeitos relacionados ao humor e ao funcionamento cerebral são devidos ao seu papel como o principal aminoácido precursor dos neurotransmissores glutamato e GABA (ácido γ-aminobutírico) no cérebro.

SAÚDE DOS INTESTINOS E SISTEMA IMUNE 

A glutamina serve como combustível para as células da membrana intestinal e para as células do sistema imune, incluindo glóbulos brancos.  

Uma alimentação rica em glutamina (ou enriquecida pela suplementação) contribui para a integridade dos intestinos, ajudando a selar possíveis microfissuras, como as que ocorrem na síndrome do intestino permeável, o que fortalece a barreira entre o interior dos intestinos e o resto do corpo, evitando que bactérias ou toxinas prejudiciais escapem dos intestinos para o sangue e outras partes do organismo.  

Este “vazamento” é infelizmente muito comum, é uma condição chamada Leaky Gut Syndrome, e os efeitos desta ausência de filtragem por parte dos intestinos são váriados e muito danosos – desde inflamações nas articulações até doenças cerebrais que vão se desenvolvendo com o tempo. 

Vale lembrar que grande parte da atividade do sistema imune acontece nos intestinos e muitas células intestinais possuem funções imunológicas. 

Se a necessidade do corpo por glutamina é maior do que sua capacidade de produzi-la, o corpo pode quebrar as reservas de proteína, como os músculos, para liberar mais deste aminoácido. 

Além disso, a função do sistema imunológico pode ser comprometida quando quantidades insuficientes de glutamina estão disponíveis. 

Por estas razões, dietas ricas em proteínas de fácil digestão, e especialmente em glutamina, são frequentemente prescritas após lesões graves e estados de debilidade física. 

Estudos também relataram que suplementar glutamina pode diminuir infecções e levar a uma menor permanência hospitalar após a cirurgia. 

PROBLEMAS ASSOCIADOS AO BAIXO NÍVEL DE GLUTAMINA 

Após conhecer a importância da glutamina nas mais diversas áreas do metabolismo, é fácil de perceber que uma carência deste aminoácido pode acarretar em inúmeros problemas, como: 

  • Enfraquecimento do sistema imunológico  
  • Aumento da permeabilidade intestinal 
  • Problemas com as memórias de curta e de longa duração  
  • Ansiedade, insônia e falta de concentração 
  • Espasmos musculares, hipertensão, convulsão, síndrome de Tourette e epilepsia 
  • Níveis de amônia aumentados nas células cerebrais, gerando um ambiente tóxico  
  • Má digestão, inchaço, flatulência e constipação 

Quando seus neurotransmissores estão em equilíbrio, você se sente motivado, produtivo e energético, mas também calmo e relaxado durante os períodos de inatividade.  

Muitas pessoas, durante a queda dos níveis de glutamina, recorrem a alimentos com alto teor de carboidratos, drogas ou álcool para relaxar. 

BENEFÍCIOS DA GLUTAMINA 

A suplementação com glutamina pode aprimorar sua qualidade de vida, aumentar seus níveis de energia, reduzir dores musculares, melhorar a digestão e a saúde intestinal, aumentar a qualidade do sono e reduzir a dor e a fadiga. 

A glutamina ajuda na recuperação dos exercícios físicos e aumenta o desempenho. Você pode sentir mais facilidade para perder peso.  

Muitos se beneficiaram da glutamina para ajudar a tratar a síndrome da permeabilidade intestinal e reduzir os sintomas da doença de Crohn e da doença celíaca. 

Como um nootrópico, a glutamina pode ajudar a aumentar a atenção, a concentração, o foco, a memória e o humor. 

A Glutamina aumenta o hormônio do crescimento humano 

Há vários estudos que defendem a ideia que a glutamina aumenta o hormônio do crescimento humano, justamente por isso, este foi um suplemento utilizado inicialmente dentre os fisiculturistas e atletas, já que o HGH ajuda a reparar e construir músculos. 

Em um estudo, os pesquisadores trabalharam com nove indivíduos saudáveis e deram-lhes dois gramas de glutamina. Amostras sanguíneas foram tiradas antes e depois de tomar o suplemento, e novamente aos trinta, sessenta e noventa minutos. 

Os pesquisadores verificaram que, tanto os níveis de glutamina no sangue quanto de hormônio do crescimento humano eram significativamente mais elevados do que antes de tomar a glutamina. A equipe concluiu que “uma quantidade surpreendentemente pequena de glutamina oral foi capaz de elevar o hormônio do crescimento”. 

O hormônio do crescimento humano e o fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF) estão intrinsecamente ligados. O BDNF está envolvido na codificação das memórias de longo prazo. 

Em um estudo feito na Holanda, randomizado, duplo cego e controlado por placebo, 42 homens e mulheres saudáveis com idades entre 40 e 76 anos de idade receberam um suplemento contendo 5 gramas de glicina, Glutamina e niacina duas vezes ao dia por três semanas. 

A dose de glutamina aumentou o hormônio do crescimento humano em 70% em comparação com o placebo, melhorando a memória e o vigor.  

COMO SUPLEMENTAR 

A glutamina pode ser encontrada em alimentos como carnes diversas, ovos, leite e produtos lácteos, feijões, beterraba, dentre outros. A proteína do soro do leite é uma das fontes mais concentradas de glutamina e um whey de qualidade pode fornecer mais de 3 gramas de glutamina por porção de 30 gramas, além de outros benefícios (você encontra o melhor whey do Brasil aqui). 

Durante períodos de estresse crônico, desgaste físico ou doença, os níveis de glutamina no organismo podem cair cerca de 50% ou mais, sendo especialmente importante suplementar nestas situações.   

Um suplemento de qualidade de glutamina pode fortalecer o sistema imunológico, melhorar a saúde dos intestinos, aumentar a capacidade de combater infecções e doenças e estimular a cognição. 

A suplementação também é indicada para atletas, pessoas com dietas restritivas (veganos), para indivíduos em busca de auxílio para sua saúde digestiva, sobretudo para a integridade da mucosa intestinal. 

A dose diária recomendada de Glutamina é de 2 a 5 gramas por dia. 

Atletas de alto rendimento geralmente consomem até dez gramas de glutamina por dia. 

Clicando no link a seguir você pode ter acesso a uma glutamina 100% pura, micronizada por processo patenteado, produzida com a mais avançada tecnologia européia, livre de sabor ou odor. Experimente seus benefícios! 

REFERÊNCIAS: 

Chwals W.J. “Regulation of the cellular and physiological effects of glutamine.” Mini Revues in Medicinal Chemistry. 2004 Oct;4(8):833-8. 

Newsholme P., Lima M.M., Procopio J., Pithon-Curi T.C., Doi S.Q., Bazotte R.B., Curi R. “Glutamine and glutamate as vital metabolites.”Brazilian Journal of Medical and Biological Research. 2003 Feb;36(2):153-63.  

Petroff O.A. “GABA and glutamate in the human brain.”Neuroscientist. 2002 Dec;8(6):562-73.  

Ramadan S., Lin A., Stanwell P. “Glutamate and Glutamine: A Review of In Vivo MRS in the Human Brain” NMR Biomed. 2013 Dec; 26(12): 10.1002/nbm.3045.  

Albrecht J., Sidoryk-Węgrzynowicz M., Zielińska M., Aschner M. “Roles of glutamine in neurotransmission.” Neuron Glia Biology. 2010 Nov;6(4):263-76  

Tapiero H., Mathé G., Couvreur P., Tew K.D. “Glutamine and glutamate.” Biomédecine and Pharmacotherapy. 2002 Nov;56(9):446-57.  

Sibson N.R., Dhankhar A., Mason G.F., Rothman D.L., Behar K.L., Shulman R.G. “Stoichiometric coupling of brain glucose metabolism and glutamatergic neuronal activity.” Proceedings of the National Academy of Sciences U S A. 1998 Jan 6;95(1):316-21.  

De Witte P. “Imbalance between neuroexcitatory and neuroinhibitory amino acids causes craving for ethanol.” Addiction and Behavior. 2004 Sep;29(7):1325-39.  

Lee Y., Son H., Kim G., Kim S., Lee D.H., Roh G.S., Kang S.S., Cho G.J., Choi W.S., Kim H.J. “Glutamine deficiency in the prefrontal cortex increases depressive-like behaviours in male mice.” Journal of Psychiatry and Neuroscience. 2013 May;38(3):183-91.  

Lin M.T., Beal M.F. “Mitochondrial dysfunction and oxidative stress in neurodegenerative diseases.” Nature. 2006 Oct 19;443(7113):787-95.  

Zhou Y., Kierans A., Kenul D., Ge Y., Rath J., Reaume J., Grossman R.I., Lui Y.W. “Mild traumatic brain injury: longitudinal regional brain volume changes.” Radiology. 2013 Jun;267(3):880-90.  

Boumezbeur F., Mason G.F., de Graaf R.A., Behar K.L., Cline G.W., Shulman G.I., Rothman D.L., Petersen K.F. “Altered brain mitochondrial metabolism in healthy aging as assessed by in vivo magnetic resonance spectroscopy.” Journal of Cerebral Blood Flow and Metabolism. 2010 Jan;30(1):211-21  

Suárez I., Bodega G., Fernández B. “Glutamine synthetase in brain: effect of ammonia.” Neurochemistry International. 2002 Aug-Sep;41(2-3):123-42.  

Mittendorfer B., Volpi E., Wolfe R.R. “Whole body and skeletal muscle glutamine metabolism in healthy subjects” American Journal of Physiology, Endocrinology and Metabolism. 2001 Feb; 280(2): E323–E333.  

Welbourne T.C. “Increased plasma bicarbonate and growth hormone after an oral glutamine load.” American Journal of Clinical Nutrition. 1995 May;61(5):1058-61.  

Arwert L.I., Deijen J.B., Drent M.L. “Effects of an oral mixture containing glycine, glutamine and niacin on memory, GH and IGF-I secretion in middle-aged and elderly subjects.” Nutritional Neuroscience. 2003 Oct;6(5):269-75.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.